Frases de Joan Garriga

"O relacionamento de casal flui com mais facilidade quando os dois estão em sintonia com a vida, quando estão em sintonia com os pais e quando não estão implica...dos com enredamento com a família de origem, com os avós etc. Sobretudo quando trabalharam o vínculo com os pais. Quando avançam nisso se ganha uma liberdade, uma maturidade e se pode olhar para os olhos do outro com todo o amor e romantismo e com toda a beleza e dizer 'sem você eu também iria bem'. E dizemos isso quando já não somos crianças. Então nossa energia está orientada em direção a um igual." Joan Garriga

"Os sistemas familiares atuam como um todo, como uma mente grupal, e tendem a atrair ou repetir o que aconteceu antes, especialmente quando não foi resolvido at...ravés do amor e da aceitação. Por exemplo, algumas crianças pensam que têm que amar um de seus pais, que classifica de bom, e que deve desprezar o outro, que chamam de mau. Ou seja, dividem seu coração entre o bem e o mal e se colocam como juízes. O paradoxo é que é muito comum que logo busquem pessoas semelhantes ao progenitor rejeitado ou que eles mesmos se pareçam. A paz e a felicidade nas famílias vêm quando todos podem ter um bom lugar e onde todos podem ter um lugar adequado, isto é, que os pais sejam pais, os filhos, filhos, os casais, casais. O único remédio é a inclusão e a abertura do coração, de modo que o passado já possa ficar como passado."
JOAN GARRIGA, do livro Onde estão as moedas?


Permanecer consciente na dor é uma forma de superá-la. Em nossa cultura, a dor tem má fama porque acreditamos que pode nos levar à depressão, mas é o contrário:... ficamos deprimidos porque detemos o fluxo espontâneo de nossos sentimentos ou pretendemos ignorar o que dói.
do livro de Joan Garriga, em "O amor que nos faz bem"

"Fritz Perls, criador da terapia Gestalt, chamava de 'a maldição do perfeccionismo' a atitude de alguém que tenta implacavelmente corrigir a realidade, com o fi...m, quase sempre infeliz, de que essa realidade se adapte aos seus esquemas exemplares imaginados, o que leva a uma perda significativa de energia para a vida. É melhor praticar o que diz Eduardo Galeano: 'Vamos ser imperfeitos porque a perfeição continuará a ser um chato privilégio dos deuses.' E, certamente, o único que seja possível amar e tenha sentido amar seja o imperfeito.”
Joan Garriga, no livro "La llave de la buena vida", ainda sem tradução para o português (tradução livre por Alice Duarte)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vínculos Invisíveis por Sílvia Rocha

Vínculos do Destino por Bert Hellinger

Oração aos ancestrais